Castro Laboreiro: uma vila com história

Visitar Castro Laboreiro é visitar uma vila perdida no meio de vales e montanhas, no Parque Nacional Peneda Gerês. Com cerca de 600 habitantes, as tradições mantém-se e são cada vez mais procuradas pelos turistas que querem conhecer a história desta vila e das pessoas que nela vivem.

No concelho de Melgaço, fazendo fronteira com Espanha, Castro Laboreiro é um dos destinos mais bonitos para uma escapadinha no Parque Nacional Peneda Gerês. Pode aproveitar para visitar nas festas populares, em Julho, em honra de Santa Isabel.

Durante todo o ano, há uma beleza diferente mas que fascina quem visita esta vila, no inverno pelas temperaturas negativas e pela neve, no verão pelos fantásticos pôr-do-sol junto das enormes montanhas rochosas. Mas mesmo em dias de nevoeiro, esta vila não perde o seu encanto. É até nestas alturas que se sente na pele as lendas que se contam nestas terras.

Se gosta de jantar com uma vista sobre o vale e as montanhas de Castro Laboreiro, com uma paisagem de cortar a respiração, a melhor opção é o restaurante Miradouro do Castelo, mesmo no centro da vila, que foi completamente renovado durante a pandemia. Aproveite e experimente a famosa sobremesa da região: o bucho doce.

No final da noite pode optar por dormir no alojamento local por cima do restaurante. Os quartos foram também todos renovados e a paisagem que vê quando abre a janela é de cortar a respiração.

Mas neste momento deve-se estar a perguntar: o que posso visitar em Castro Laboreiro?

Devido à localização geográfica isolada, Castro Laboreiro conseguiu manter intactas muitas das suas tradições, a cultura e as “viúvas dos vivos”. Entre a Serra da Peneda e a Serra de Castro Laboreiro, a vila fixou-se no planalto do Laboreiro e não lhe faltam pontos de interesse para um dia de visita.

A estrela da vila é, sem dúvida, o Castelo de Castro Laboreiro. Em 1141, D. Afonso Henriques conquistou a povoação de Castro Laboreiro, reforçando a defesa desta povoação que passava a integrar a fronteira de Portugal. Embora se desconheçam os detalhes deste castelo, ele estaria concluída sob o reinado de D. Sancho I. No início do reinado de D. Afonso III o castelo foi severamente danificado diante da invasão de tropas do reino de Leão (1212). Hoje em dia continua a ser uma das principais atrações para quem visita esta vila, não só pela beleza da paisagem, mas também pelas ruínas.

Como mais antiga freguesia de Melgaço, Castro Laboreiro fez duma antiga fábrica de chocolates o seu Núcleo Museológico onde a história da vila, trajes, usos e costumes são preservados e expostos para a prosperidade.

Esta região é a única no país onde podemos encontrar a tradição das viúvas dos vivos. Quando os maridos, filhos ou netos emigravam, as mulheres vestiam o traje castrejo, negro. A peça mais peculiar são os calções. Esta espécie de alpercatas é sempre branca e feita de lã grossa de ovelha, tendo uma dupla função: protege do frio, mas também do mato.

Sulcada por inúmeros cursos de água, não podiam faltar nesta zona minhota as pontes românicas e medievais. Entre outras o destaque vai para a Ponte da Cava Velha, a Ponte da Cainheiras, a Ponte da Dorna e a Ponte da Capela.

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit sed.