Alto Minho destino náutico

A região do Alto Minho concentra uma rica e diversa oferta turística, combinando desde recursos naturais e de lazer, uma gastronomia singular, uma longa tradição associada ao vinho, monumentos, tradições e costumes.

O Blueways foi criado dentro da estratégia de valorização da Náutica no Litoral Norte que passa pela valorização da Rede de Infraestruturas principais e complementares de suporte à náutica de recreio como a marina e pequenos ancoradouros, a promoção da Náutica de Recreio (incluindo capacitação das empresas do setor). Exemplo disso é atração de investimento na área dos serviços da náutica de recreio, construção de embarcações e equipamentos de práticas náuticas.

Mas também a certificação dos principais serviços e infraestruturas associadas à náutica, bem como do próprio destino turístico, nomeadamente através da criação de produtos turísticos inovadores de mar, rio & natureza.

Através de Programas que permitam o acesso do público em geral à prática da náutica através da realização de cursos, férias náuticas (com alojamento) queremos levar as pessoas da região à prática.

Por outro lado, pretende promover as atividades náuticas em contexto escolar em todos os concelhos do Alto Minho, e trazer a organização de eventos náuticos de excelência no Alto Minho.

Por último, a aposta na promoção do turismo náutico da região, junto dos mercados prioritários da Alemanha, Reino Unido, França, Holanda e países escandinavos e dos mercados de proximidade de Portugal e Espanha.

Neste contexto, o projeto “Blueways” tem por objetivo valorizar e promover economicamente a rede de percursos azuis inseridos em espaços naturais do Alto Minho, abrangendo desde Arcos de Valdevez, Caminha, Melgaço, Monção, Paredes de Coura, Ponte da Barca, Ponte de Lima, Valença, Viana do Castelo até Vila Nova de Cerveira.

O que pretendem?

Um conjunto de notáveis recursos e valores ambientais, associados ao clima temperado e a um mercado de proximidade de mais de 3 milhões de pessoas a menos de 60 minutos de distância, tornam o Alto Minho particularmente atrativo para a realização de experiências de Mar, Rio & Natureza, encarando esta oportunidade como uma nova forma de olhar e explorar os territórios numa lógica de valorização económica sustentável dos recursos ambientais dos seus territórios de baixa densidade.

A aposta neste setor pretende valorizar o Mar, o Rio e a Natureza, enquanto espaço de descoberta, aventura e lazer. Pretende-se, assim, atrair novos fluxos de ecoturismo, através da promoção do Alto Minho, da sua frente marítima, dos principais cursos de água e dos espaços naturais, com condições singulares para a prática de atividades de desporto, lazer e turismo.

Através destas parcerias, o Blueways pretende mostrar, por exemplo, que uma família que venha descobrir Melgaço numa semana poder realizar uma atividade de caminhada com uma empresa local, no dia seguinte fazer rafting no Rio Minho, deslocar-se dois dias a Caminha, pernoitando na região e realizar a descida do Rio Couro em kayak e no segundo dia realizar um passeio a cavalo

Com o apoio de agentes locais, o BlueWays pretende a valorização e promoção do turismo de natureza no Alto Minho, criando assim uma melhor oferta, orientada para os diferentes públicos-alvo da estratégia de valorização eco-turística da região.

Este projeto é possível porque é um trabalho conjunto de várias entidades: governamentais e empresas privadas para conseguirmos levar mais longe e criar notoriedade da nossa região.

Portugal tem um clima único na Europa para as atividades ligadas ao turismo náutico. E sabemos que o aumento da procura deste setor durante a próxima década vai ser grande.

Por isso, a aposta é mais que necessária. Há um potencial enorme, diversificado e com várias as atividades ligadas a esta indústria.

O turismo é uma das atividades ligadas à economia do mar que mais se têm desenvolvido e, por exemplo são já várias as empresas que desenvolvem este negócio.

Portugal reúne todas as condições para ser um país de eleição dos amantes do mar e dos desportos aquáticos e é necessário dar a conhecer a nossa vasta costa. Mas também os nossos rios e lagos que, associados à nossa história, às belas paisagens e à gastronomia única, nos tornam o Alto Minho imperdível.

A região do Alto Minho foi reconhecida, em 2018, como uma das Estações Náuticas (EN) de Portugal. Este selo de qualidade foi atribuído na sequência de um processo de candidatura da Comunidade Intermunicipal do Alto Minho (CIM Alto Minho) à Fórum Oceano – Associação de Economia do Mar, entidade responsável pela certificação.

Reconhecendo a valia dos recursos e o potencial que Portugal apresenta na área do turismo náutico e tendo como exemplo as experiências existentes em França e em Espanha, a Fórum Oceano – Associação de Economia do Mar lançou o desafio aos territórios e entidades e organizações nacionais que detêm competências na área da náutica, para a certificação dos mesmos enquanto Estações Náuticas.

As experiências náuticas entre Portugal e Espanha

Se subirmos até ao ponto mais a Norte de Portugal, mesmo antes de encontrarmos a Galiza, deparamo-nos com o Rio Minho. Este grandioso rio, separa o nosso país da a vizinha Espanha durante mais de 100km, e é também um dos mais procurados para quem deseja encontrar alguma aventura e diversão dentro de água.

É na longitude mais alta de Portugal que se cultiva e produz um dos vinhos mais conceituados do país. Sim, falo do vinho verde alvarinho. Os terrenos montanhosos, aliados com a rede hidrográfica da região potenciou o cultivo destas castas que dão origem a um vinho diferente daquele que se produz em qualquer outra parte do país ou, atrevo-me a dizer, do mundo.

No entanto, e sei que pode parecer mentira, há quem visite Melgaço e Monção, não só pelo maravilhoso vinho alvarinho, mas também pelas experiências de rafting ou kayak no Rio Minho que são cada vez mais conhecidas entre os amantes de experiências náuticas.

Mas não só destes dois desportos vive o Rio Minho. Com a crescente procura, por parte dos turistas, por conhecer o Parque Nacional Peneda-Gerês, o Rio Minho ganha novos visitantes todos os dias que procuram conhecer a cultura, mas também a natureza característica desta zona do país.

Descendo um pouco mais o rio, chegamos a Valença e Vila Nova de Cerveira onde se podem fazer passeios de barco para apreciar a fauna e a flora envolvente do rio ou praticar paddle, kayak ou remo.

Uma modalidade elegante. É necessário ter alguma resistência pois esta atividade põe à prova as suas capacidades. É um desporto de velocidade e tem como cenário o rio Minho.

Se a sua paixão não são os desportos aquáticos, e prefere ficar em terra firme, pode optar por passear de bicicleta ou a pé junto à margem do Rio Minho.

A melhor maneira de relaxar e descontrair. Um belo passeio para apreciar a cidade e admirar o que de melhor ela tem. Aproveite estes passeios para passar o dia em família.

Um mar de aventuras por descobrir

Os mares do Norte de Portugal podem ser conhecidos pelas suas temperaturas frias, pelas ondas grandes e pelos ventos fortes. Mas, muitos são os turistas que procuram o Atlântico de Viana do Castelo e Caminha para desfrutar da calma das praias e das aventuras do mar.

No ponto mais a Norte do litoral de Portugal, reúnem-se as condições ideais para quem procura uma boa dose de adrenalina e aventura dentro de água. Falo dos municípios de Caminha e, um pouco mais a baixo, de Viana do Castelo. Muito diferentes e, ao mesmo tempo, muito semelhantes, estas duas cidades da região do Alto Minho fazem a ligação do Atlântico aos rios Minho e Lima.

Do cimo do Monte de Santa Luzia, em Viana do Castelo, vemos a foz do rio Lima entrar pelo mar dentro e todo o verde que se estende por quiilómetros ao redor da cidade. Mas quem visita esta cidade não procura apenas as igrejas, a cultura e a gastronomia. Procura também explorar a diversidade náutica que a região do Alto Minho tem para oferecer.

Gosta de aventura? Nós também. Esta experiência desvenda o seu lado mais radical e permite aperfeiçoar as suas manobras. As praias portuguesas são das melhores e em Viana encontra o local ideal para surfar.

Se visitar Viana do Castelo e Caminha, e procurar viver novas experiências, os dois municípios têm uma variadíssima oferta, tanto dentro, como fora de água. Se se sentir um aventureiro, pode experimentar o windsurf, kitesurf, surf, passeio a cavalo, btt ou paddle. Estas experiências desvendam o seu lado mais radical e permitem aperfeiçoar as suas manobras aquáticas. As praias portuguesas são das melhores e em Viana do Castelo e Caminha encontra as melhores condições para praticar estes desportos radicais.

Se, por outro lado, quer divertir-se fora de água, porque não optar por um passeio a cavalo junto ao mar, uma corrida na ecovia do Atlântico ou até um passeio de bicicleta em família junto à praia.

Estas atividades estão disponíveis durante todo o ano e são bastante procuradas por turistas que visitam a cidade durante o fim-de-semana para descansar, recuperar energias e, claro, viver aventuras.

Acha que é dificil surfar? Então tem que experimentar fazer paddle. Uma prancha e um remo é tudo o que precisa. Claro que se não existirem ondas ajuda!

A pensar no potencial do turismo náutico do Alto Minho, em grande parte devido à riqueza hidrográfica desta região, a Comunidade Intermunicipal do Alto Minho decidiu criar um projeto que tem como princípios a sustentabilidade, enriquecimento e promoção das redes de água que interligam os 10 municípios desta região.

O Lima das pontes e das aventuras

O rio Lima percorre cerca de 67km em território nacional, desde Lindoso até à foz, em Viana do Castelo. É um dos mais conhecidos rios de Portugal, principalmente pelos desportos náuticos que lhe estão associados e por dar nome à vila mais antiga de Portugal, Ponte de Lima.

Se quisermos fazer canoagem na zona do Alto Minho, a primeira opção que nos vem à cabeça é ir até Ponte de Lima. Porquê? Provavelmente porque é a casa de Fernando Pimenta, atleta olímpico de canoagem, e onde treina quase todos os dias. Mas se a canoagem não é o desporto que quer praticar, há mais sugestões para aproveitar as águas do Lima.

Em Paredes de Coura, além do festival de música, há quem visite a vila para praticar hidrospeed. Esta modalidade é recente, irreverente e consiste em descer o rio em cima de uma prancha, a grande velocidade.

Ponte da Barca, deve o seu nome à ponte e à barca que faziam ligação entre as duas margens do Rio Lima. Dispõe de uma praia fluvial para refrescar nos dias de grande calor e ideal para a prática de desportos náuticos. Esta vila é bastante conhecida pelos praticantes de canyoning. Um desporto perfeito para quem gosta da combinação de explorar o solo, assim como a água.

A exploração do rio permite um contacto com a natureza e apesar de não parecer é bastante seguro. Gosta de adrenalina? Então este é o desporto certo.

Em Arcos de Valdevez pratica-se a pesca à pluma. Esta modalidade assemelha-se à pesca tradicional mas utiliza moscas artificiais como isco. Os lançamentos da linha devem ser feitos com muita precisão. É uma modalidade que exige alguma técnica, mas com a prática chega lá!

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit sed.